Petrópolis, 09 de Julho de 2020.
Matérias >> Artigos
   
  DEZ – QUATRO: QUEM SABE A PAZ ENTRE SAÚDE E ECONOMIA? - Philippe Guédon

Data: 14/05/2020

 

DEZ – QUATRO:

QUEM SABE A PAZ ENTRE SAÚDE E ECONOMIA?

Philippe Guédon *

 

Acabo de ler uma notícia de 13 de maio, redigida por Mar Pinchel e relatando uma entrevista à BBC News em espanhol, concedida pelo professor em Biologia Computacional e de Sistemas, Uri Alon, do Instituto Weizmann de Israel. Penso ser matéria relevante para os petropolitanos.

A proposta visa a retomada das atividades, sem pôr em risco as medidas já adotadas contra o COVID-19. Há que se privilegiar a saúde, mas manter a economia fechada para evitar o contágio pode ser devastador também. Os cientistas israelenses propõem um modelo cíclico de dez dias de quarentena e quatro dias úteis, identificado como modelo 10 – 4, formando ciclos completos de duas semanas. Deduzo que três turnos de 4 dias totalizariam doze, e que o domingo seria respeitado; eis os 14 dias.

“Trata-se de um modelo de quarentena e trabalho / escola, uma etapa intermediária que oferece um equilíbrio entre Saúde e Economia”, diz o professor Uri Alon. Na mesma unidade familiar, pais e filhos poderiam sair nos mesmos dias para trabalhar e estudar. “É previsível e justo, portanto pode ser utilizado por meses a fio até dispormos de uma vacina, tratamento ou outra solução; e, enquanto isto, a economia pode retornar à produção quase contínua e por turnos”, acrescenta Alon.

O modelo leva em conta uma característica do COVID-19: o seu período de latência, ou seja o prazo médio de três dias que transcorre entre o contágio de A, e a retransmissão do vírus de A para B e até outros. Se a pessoa for infectada em seu período de trabalho ou estudo (4 dias), estará dentro de seu período de latência e só virá a ser um transmissor potencial quando já estiver no seu período de quarentena, em contato com número restrito de pessoas. Por óbvio, se apresentar sintomas, deverá permanecer em quarentena e entrar em contato com o sistema de Saúde, seguindo as orientações deste.

O objetivo é a redução do número básico de contágio (Ro), ou número de contágios que um infectado pode causar. O grande esforço é baixar o Ro para um patamar abaixo de 1. A regra 10 – 4, de acordo com os estudos, manterá o Ro abaixo de 1.

O modelo deve ser complementado por outras medidas como o uso de máscaras, a higiene, testes, distanciamento, proteção de grupos de risco. A regra 10 – 4 permite a volta ao trabalho e estudos, mantendo um limite baixo de pessoas nos locais de ensino, produção, comércio e serviços. Como nada é perfeito, setores como grandes eventos, boates, restaurantes e hotéis deverão buscar ajustes que lhes permitam se beneficiar da regra.

 

 

* Coordenador da Frente Pró Petrópolis - FPP




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS