Petrópolis, 02 de Julho de 2022.
Matérias >> Poder Executivo Mun. >> Desenvolvimento Humano
   
  Temporão convocou prefeitos para combater Aedes Aegypti

Data: 13/11/2008

 Visando evitar uma nova epidemia de Dengue no estado do Rio, o ministro da saúde José Gomes Temporão convocou prefeitos eleitos e reeleitos de todo estado a promoverem uma mobilização contra o mosquito Aedes Aegypti. Temporão anunciou medidas que estão sendo adotadas pelos governos Federal e do estado do Rio e solicitou que a questão da dengue tenha especial atenção dos prefeitos eleitos e reeleitos. “Faço um apelo para que as equipes de transição priorizem a questão da dengue, para que o assunto seja tratado de forma clara, objetiva e amplamente divulgada junto à população e que se faça uma mobilização”, disse. De acordo com o ministro, o momento de mudança dos gestores municipais é importante, principalmente diante da possibilidade de surto da doença no Rio de Janeiro. Entre os meses de janeiro e agosto de 2007, foram notificados no Rio de Janeiro 57.640 casos de dengue. No mesmo período deste ano, o número de notificações saltou para 240.411, o que representa um aumento de 317%.

 

 Por meio da parceria com os novos prefeitos, o Ministério da Saúde pretende evitar a alta incidência da doença verificada no Estado no último verão. O objetivo é que as ações de prevenção à dengue e de atendimento à população façam parte da pauta das equipes de transição e do trabalho do fim de governo dos prefeitos que estão encerrando sua gestão.

 

 “Vou estimulá-los fortemente para que uma das primeiras medidas que tomem seja promover uma mobilização nos municípios em prol da prevenção, visando a administração pública, para que promovam a limpeza das cidades, que envolvam as escolas, o empresariado, os meios de comunicação. Este ano a estratégia é a de transformar informação em ação. (...) Essa questão precisa começar a ser tratada desde já pelas equipes de transição de governo, para que haja continuidade das políticas implementadas e que onde se perceba que há algum tipo de fragilidade nas estratégias, a política de enfrentamento do problema seja adotada, e se faça a prevenção e a mobilização da sociedade”, frisou.

 

 Temporão lembrou que no dia 20 serão divulgados dados da amostragem nacional feita em 169 municípios de todo Brasil e ressaltou que os resultados do Levantamento Rápido de Índice de Infestação pó Aedes Aegypti (LIRAa) deverão ser amplamente divulgados pelos municípios. “A idéia é que este dado seja amplamente divulgado, que essa informação seja útil para mudar a realidade, não somente um dado estático. Se a situação é mais grave em tal localidade, então vamos trabalhar mais a mobilização naquela região”, disse.

 

 O ministro frisou ainda que os dados do LIRAa no ano passado mostravam o Rio de Janeiro em uma situação crítica e considera que houve falta de um trabalho de prevenção a doença, o que segundo ele não pode se repetir. Ele lembrou que as Forças Armadas estão definindo os locais de treinamento de recrutas que reforçarão a estratégia contra a doença.

 

 Temporão anunciou ainda um aumento de mais R$ 200 milhões nos recursos para o combate a dengue. “No ano passado nós liberamos cerca de R$ 780 milhões em nível nacional. Neste ano essa verba vai passar de R$ 1 bilhão,cerca de R$ 200 milhões a mais para a contratação de agentes de saúde, aquisição de equipamentos, insumos, treinamento e também uma forte campanha de divulgação. Eu acho que a informação , a educação, a mobilização, além do preparo técnico, são as armas que nós temos nesse momento”, afirmou.

 

 Do montante total, R$ 47,6 milhões serão direcionados ao combate à dengue no Rio de Janeiro, o que representa um aumento de 64,13% em relação ao que foi investido em 2007. Além destes recursos, para reforço à estrutura já existente, foram adquiridos 49 veículos e 25 nebulizadores costais motorizados e 200 mil capas para caixas d’água. Também foram organizados centros de hidratação em municípios de pequeno e médio porte e definidos protocolos para atendimento de idosos, cardíacos e portadores de outras doenças que aumentam o risco para dengue grave.

 

 Sem adiantar dados sobre o levantamento do índice de infestação, o ministro lembrou que alguns bairros da zona norte, da baixada fluminense, preocupam “não só pela presença do vetor, mas também pela dinâmica da circulação do sorotipo 2. Tivemos no Rio neste ano muitos óbitos, uma situação inadmissível que não pode se repetir. Temos trabalhado bastante integrado, articulado (...) teremos mais recursos financeiros”, disse.

 

 O ministro citou algumas ações que estão sendo realizadas neste mês, entre as quais uma reunião com o ministério das cidades para tratar questões como lixo, distribuição de água. “Todas as interfaces de saúde e do ministério das cidades vão ser tratadas nessa reunião (...) como ministro Minc, a questão dos catadores de lixo se transformando em agentes de levantamento de focos, no trabalho conjunto conosco”, disse, lembrando que o governador dório, Sérgio Cabral, convocou uma reunião de seu secretariado com o secretariado já indicado pelo prefeito eleito do município (Eduardo Paes). “O Ministério da Saúde estará presente a essa reunião”, adiantou. Dentre os 92 municípios do Estado, 72 prefeitos eleitos ou reeleitos participaram do evento, que está sendo realizado pela Associação Estadual de Municípios (Aemerj) e pelo Sistema Fecomercio-RJ, com os novos administradores municipais.

 

Questão da saúde de Petrópolis não foi discutida

  A presença do Ministro da Saúde José Gomes Temporão no encontro de prefeitos, no Quitandinha, teve como único objetivo a divulgação de políticas de combate à Dengue, deixando para trás o anunciado tema de Políticas Públicas da Saúde, que, se tratado de forma mais ampla, poderia significar a oportunidade de discutir questões importantes para o município, que tem hoje como maior problema a questão da saúde.

 Apesar desta pasta representar o principal desafio do próximo chefe do executivo, o prefeito eleito Paulo Mustrangi não participou do evento. O prefeito Rubens Bomtempo, que pela manhã fez uma palestra com o tema Petrópolis: cidade de empreendedores, à tarde retornou ao evento. De acordo com a assessoria de Comunicação da Prefeitura, ele conversou como ministro José Gomes Temporão, mas o conteúdo da conversa não foi divulgado.

 

 A escolha de Petrópolis para o anúncio das políticas federais de combate à Dengue, foi algo curioso, uma vez que a cidade não tem um histórico de epidemias da doença.

 

 

Fonte: Tribuna de Petrópolis – 11 de novembro de 2008.




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS