Petrópolis, 27 de Setembro de 2020.
Matérias >> Poder Executivo Mun. >> Desenvolvimento Econômico
   
  Atividade Industrial do RJ

Data: 07/04/2008

Atividade industrial do Rio prossegue em alta

A atividade industrial do estado do Rio de Janeiro prossegue em alta, conforme demonstra o resultado da pesquisa Indicadores Industriais do Sistema FIRJAN, divulgada no dia 3 de abril. A indústria fluminense, em fevereiro último, apresentou maior número de horas trabalhadas, mais contratações de trabalhadores, aumento dos salários pagos e também da taxa de utilização da capacidade instalada nas comparações com janeiro, com o mesmo mês de 2007 e no confronto entre os primeiros bimestres deste ano e do ano passado.O menor número de dias úteis, em fevereiro, no entanto, produziu o efeito de acomodação das vendas reais que recuaram 1,5% em relação ao mês anterior, na série com ajuste sazonal (procedimento estatístico que retira os efeitos de variações típicas determinada época). Já na comparação com fevereiro do ano passado, as vendas reais da indústria do Rio de Janeiro cresceram 4,9% e, 10% entre os períodos janeiro-fevereiro deste ano e de 2007.

A manutenção do bom desempenho da indústria do estado neste ano pode ser medida pelo índice de utilização da capacidade instalada que atingiu o patamar mais elevado em um mês de fevereiro, desde o início da série histórica: 80,12%, ficando ligeiramente abaixo dos 80,57% registrados no mês anterior, mas superior aos 79,96% de fevereiro de 2007. Na série que desconta os efeitos da sazonalidade, a taxa ficou estável em 80,35% entre os meses de janeiro e fevereiro. Oito dos 16 setores pesquisados registraram taxa de ocupação acima da média da indústria, com destaque para produtos metálicos; máquinas, aparelhos e material elétrico; outros equipamentos de transporte; e máquinas e equipamentos.

As horas trabalhadas também tiveram expansão em todos os comparativos analisados. Na série com ajuste, aumentaram 0,5% sobre janeiro, alta influenciada principalmente pelos setores de edição e impressão; metalurgia básica; material eletrônico e equipamentos de comunicação; e celulose e papel. A pesquisa Indicadores Industriais revela que o maior número de horas trabalhadas na produção, em fevereiro, nesses setores, foi o retorno de férias coletivas e individuais, em maior escala.

 

Os salários, em fevereiro, por sua vez, subiram 0,3% frente a janeiro, depois do ajuste sazonal. Na comparação com igual mês de 2007, o aumento foi de 9,5% e de 7,2% em relação ao primeiro bimestre do ano passado.

Fonte: www.firjan.org.br

  

O mercado de trabalho permanece respondendo bem à atividade industrial em alta. A indústria fluminense contratou cerca de 2.450 novos trabalhadores em fevereiro, ou seja, a expansão do pessoal ocupado foi de 0,69%, na série ajustada. Os setores que mais contrataram foram de outros equipamentos de transporte, material eletrônico e equipamentos de comunicação, máquinas e equipamentos, minerais não-metálicos, produtos metálicos e vestuário e acessórios. Na comparação com fevereiro de 2007, a criação de novos postos de trabalho aumentou 5,7% e no bimestre, 5,5%, sendo a maior alta desde janeiro de 2003.

 

Luciana de Sá, diretora de Desenvolvimento Econômico do Sistema FIRJAN, destaca que "embora os resultados da pesquisa evidenciem que a atividade industrial do estado continua em alta, não há sinais de que a tendência seja explosiva". A economista ressalta que "o Sistema FIRJAN desaconselha medidas de aperto monetário, especialmente quando se leva em consideração que os gastos correntes do setor público vêm se acelerando". Para os industriais fluminenses, acrescenta Luciana de Sá, a política econômica do país deveria ser direcionada para maior restrição fiscal e não monetária.




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS