Petrópolis, 02 de Julho de 2022.
Matérias >> Poder Executivo Mun. >> Desenvolvimento Humano
   
  Casas e objetos abandonados no Cuiabá trazem preocupação: perigo é a dengue

Data: 17/01/2012

 

Por todo o Vale do Cuiabá é possível encontrar piscinas e objetos abandonados pelos antigos moradores da região. / Anderson França

Em meio aos escombros e aos esqueletos de moradias abandonados na região do Vale do Cuiabá, chama atenção a quantidade de possíveis criadouros para mosquitos da dengue, o que preocupa com a chegada das chuvas de verão. Apesar dos alertas e da ampla divulgação sobre a necessidade de medidas preventivas à doença, piscinas abandonadas assim como objetos deixados para trás nas casas acumulam água das chuvas, uma preocupação a mais para quem insiste em ficar no Cuiabá.
Próximas às casas destruídas, as piscinas com água esverdeada pela falta de cuidados têm uma quantidade de larvas de mosquitos que já chama atenção. “Tem pessoas com crianças que ainda moram aqui, essas piscinas se transformaram em criadouros de mosquitos. Alguma providência precisa ser tomada. Não é possível que eles não vejam isso. Isto aqui está um campo fértil para a proliferação da dengue”, preocupa-se uma moradora.
A moradora frisa que os focos estão espalhados em diferentes pontos ao longo do vale e são facilmente identificáveis em meio aos escombros de construções abandonadas. Algumas delas sequer chegaram a ser mexidas pelos donos. “Muitas pessoas perderam tudo e até hoje não voltaram para mexer nas casas. Como muitas foram parcialmente destruídas, algumas áreas acabam acumulando água e isso é uma preocupação a mais que temos, pois o verão está aí e com ele a dengue. Ouvimos toda hora na televisão eles dizerem que as pessoas precisam se prevenir, mas aqui por enquanto nada foi feito”, completa.
Indagada sobre o problema, a Prefeitura informou que o Levantamento de Índices Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre 02 e 11 de janeiro deste ano, não identificou o Vale do Cuiabá como área positiva para a dengue. Para fazer a prevenção, a Vigilância Sanitária está contando com a ajuda da população a fim de eliminar os possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti. A assessoria da Prefeitura explicou que no caso das piscinas e outros locais de acúmulo de água citados pela reportagem, a Comdep disponibiliza seu serviço gratuitamente de aterramento ou aspiração da água das piscinas e outros locais. Os moradores devem entrar em contato com a empresa para indicar o endereço exato dos locais onde há necessidade de intervenção. O comunicado deve ser feito por meio do telefone 2292-9500.

Fonte: Tribuna de Petrópolis.




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS