Petrópolis, 25 de Abril de 2019.
Matérias >> BR-040: obras da NSS
   
  Obras da BR-040 voltam a ser debatidas

Data: 22/09/2014

Obras da BR-040 voltam a ser debatidas

Tribuna de Petrópolis, Segunda, 22 Setembro 2014 16:06

 

 

No último sábado representantes da sociedade civil e de entidades como a Frente Pró-Petrópolis (FPP) e  a Novamosanta estiveram reunidos no Quitandinha para discutir os impactos gerados pela nova pista de subida da serra. A reunião foi encarada como uma preparatória para uma audiência da Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados prevista para acontecer em Brasília,  depois das eleições. O objetivo foi unificar informações das entidades e associações locais, que estão preocupadas em como a cidade será afetada quando a nova pista for inaugurada, daqui a dois anos.

Fernando Varella, da Novamosanta,  lembrou que a BR-040 é uma estrada estratégica e que mexe diretamente com a vida dos petropolitanos, uma vez que milhares de pessoas usam a rodovia todos os dias, seja para estudar e/ou trabalhar. Sem contar que ela também é utilizada por turistas que visitam a cidade. “Vemos com muita preocupação a maneira como estão fazendo. Como vai ser a integração dos acessos com a cidade?”, indagou

Ele disse ainda que não há transparência nas decisões e a questão sobre o que será feito com a antiga pista de subida da serra que, a princípio, será transformada em uma estrada parque. 

A Novamosanta encaminhou um documento com proposições, nas quais constam a definição de responsabilidades e fontes de recursos para as obras necessárias para a integração do sistema viário de Petrópolis aos novos acessos da cidade e a busca de recursos, via orçamentos da União, para as obras de duplicação das pontes de Bonsucesso, da Estrada das Arcas e do Arranha-Céu, permitindo a melhoria do tráfego entre a rodovia e a Estrada União e Indústria. Segundo Varella, esta segunda proposição auxiliaria também no problema de mobilidade urbana do distrito. 

Para o pesquisador Antônio Pastori, a preocupação é com relação a quarta revisão do programa de exploração da rodovia e do aditivo número 12. Ele sugeriu ainda à Comissão de Viação e Transporte que o pedágio seja explorado como na Europa, que é de acordo com a quilometragem rodada.  

Já Celso Albuquerque da Associação do Quitandinha questionou como será feita a exploração da atual pista de subida e disse que a Concer trata os usuários com total desprezo e a ANTT não fiscaliza. 

A presidente da Associação da Rua Teresa (Arte) Claudia Pires está preocupada com o tempo que os turistas vão gastar saindo do Duarte da Silveira até a Rua Teresa. “Hoje, do Quitandinha até o polo de moda, gasta-se 40 minutos em um sábado, em um percurso que é de 5 minutos, quanto será gasto  com os motoristas saindo da Duarte da Silveira”, indagou. 

Na ocasião, o Secretário de Planejamento do município, Robson Cardinelli, disse que a prefeitura não foi consultada para que fosse explicada a construção da nova pista de subida da serra. “Apenas no começo deste ano é que tivemos acesso ao projeto”, disse. Ele ressaltou ainda que a PMP poderia estar acompanhando a construção, mas que só agora é que estão sabendo como essas intervenções afetarão diretamente a vida dos petropolitanos.

Representando a Comissão dos Moradores Desapropriáveis do Duarte da Silveira, Joseane Batista disse que está com medo, porque as casas estão sendo diretamente afetadas, inclusive com rachaduras por causa das explosões para a construção do túnel. “Não tem ninguém para alertar sobre o que pode acontecer com a gente”, afirmou. 

 

Para o deputado federal Hugo Leal a reunião foi proveitosa, porque foi possível reunir as dúvidas dos petropolitanos. “Vamos levar estes questionamentos para Brasília porque ainda existem muitas respostas que devem ser dadas à população”, concluiu.

 




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS